escritorio compartilhado

Escritório compartilhado: Conheça uma alternativa viável ao home office

O que é coworking, ou traduzindo, escritório compartilhado? Para muitos, é uma alternativa viável no teletrabalho, sendo uma opção mais em conta do que o home office.

Para esse mesmo público, é o futuro do trabalho profissional.

Segundo pesquisadores do Ipea e IBGE, o teletrabalho é possível para 22,7% das ocupações nacionais.

Dentro do Brasil, Distrito Federal é o maior, com 31,6% de potencial, e São Paulo é o segundo, com 27,7%.

Ou seja, dentro do país, há um potencial latente para o teletrabalho, se destacando o escritório compartilhado por seu ambiente profissional.

No entanto, por que sair do escritório para ir a um tipo diferente de escritório? Por que optar pelo espaço compartilhado coworking ao home office então? Veja isso agora!

O que é escritório compartilhado?

“O mundo está cada vez mais no networking e no coworking do que no trabalho individual.”

O significado de Coworking é originado do Vale do Silício, funcionando como uma estação colaborativa de trabalho, escritório virtual, sala de reuniões e salas privativas.

Por meio do compartilhamento de espaço com outros profissionais, há uma redução de custos.

Segundo pesquisas, o uso de espaço leva a uma redução de custos fixos de até 70%. Afinal, agora não é apenas você que arca com esses custos, mas todo um grupo de profissionais.

Dessa forma, seu conceito se tornou muito popular no mundo e também nos grandes centros brasileiros, havendo muitos Coworkings em São Paulo, por exemplo.

Entretanto, redução de custos é apenas um dos benefícios.

  • Possibilidade de networking com pessoas da mesma ou de diferentes profissões;
  • Boa infraestrutura e serviços;
  • Ambiente profissional em escritórios prontos.

Quem pode utilizar de um escritório compartilhado?

Segundo percentuais de probabilidade de teletrabalho, os grupos com maior possibilidade de usarem de espaço compartilhado coworking são: profissionais de ciências e intelectuais (65%), diretores e gerentes (61%) e apoio administrativo (41%).

No geral, é usado por startups, pequenas empresas, freelancers, profissionais autônomos e profissões afins. Isso as vezes gera a impressão de que coworking é usado apenas por profissionais liberais – o que não é verdade.

Por exemplo, uma ala profissional que tem tomado conta do coworking é a ala médica, se tornando mais popular o coworking médico. Além disso, há um longo tempo que tem sido popular o coworking para advogados.

Por fim, mesmo os trabalhadores de serviços, vendedores de comércio e mercado podem optar por esse modelo, apesar do baixo potencial de teletrabalho (apenas 12%).

Trabalhadores qualificados, operários e artesãos apresentam 8% de potencial.

Quais os serviços que um espaço compartilhado coworking oferece?

Como funciona o coworking? É difícil definir o que exatamente será oferecido, pois há diferentes empresas prestadoras desse serviço pelo país. Por exemplo, apenas 36% oferece uma biblioteca, 76% armários privados e 31% estacionamento próprio.

Entretanto, é possível rastrear os principais serviços que oferecem.

  • Coworking

O principal é oferecido, com espaços podendo serem alocados para equipes, grupos ou mesmo profissionais individuais. Oferece-se cadeiras ergonômicas, espaço amplo para materiais de trabalho e divisão de espaço.

Naturalmente, permite o networking.

  • Salas privativas

Caso prefira não ter o compartilhamento de espaço para si ou para sua equipe, há a opção de salas privativas. Nelas, há todas as vantagens que existem no espaço compartilhado coworking tradicional.

  • Salas de reunião

Caso momentaneamente precise agendar uma reunião com clientes, parceiros ou prestadores de serviço, você optar pelas salas de reunião.

Elas funcionam por agendamento, custando apenas o tanto usado (por hora, por dia ou por mês).

Além disso, há equipamento para realização da reunião, como máquina para slideshow.

  • Cabines de videoconferências

Caso precise de uma ligação ou videoconferência, alguns escritórios compartilhados oferecem esse serviço. Segundo pesquisa, 16% oferecem cabine telefônica para chamadas do cliente

  • Amenidades

Também há aquelas coisas pequenas, mas úteis para andamento do trabalho no coworking, como água, café, aperitivos, etc.

Segundo Coworking Brasil, 94% dos espaços oferecem café grátis, 90% impressão e 45% vendem produtos de alimentação.

Além disso, há espaços que oferecem um canto para seu cachorro (25% permitem animais) e estacionamentos variados, para carros, motos ou mesmo as bicicletas.

Em adendo a isso, 95% oferecem cozinha ou copa para seus clientes.

  • Confraternizações

Por fim, de maneira a incentivar a colaboração entre profissionais dos escritórios prontos, os coworkings realizam eventos como happy hour, lanches e cafés. Segundo Coworking Brasil, 58% realiza esse tipo de “serviço extra”.

O crescimento dos escritórios compartilhados no Brasil: qual é o panorama atual?

“Com crise ou sem crise, o coworking continua a evoluir no mercado brasileiro.”

Segundo Coworking Brasil em seu último censo, o modelo de escritório compartilhado apresentou um crescimento em 2019 de 25% em relação ao ano de 2018. Dessa forma, já alcançou 195 municípios, com apenas Roraima não tendo em nenhuma cidade.

Com isso, há atualmente cerca de 1.497 espaços conhecidos, com coworking em São Paulo alcançando o número de 663. Em segundo e terceiro, vem Rio de Janeiro e Minas Gerais, com 129 e 112, respectivamente.

Por cidade, o coworking em São Paulo também lidera, com 388 escritórios compartilhados. Em seguida, vem Rio de Janeiro e Belo Horizonte, com 106 e 64, respectivamente.

Com isso, é possível perceber que 68% dos escritórios compartilhados se encontram nas capitais, com apenas 32% sendo no interior. Além disso, 60% está localizado em bairros comerciais.

Por fim, 88% conta com um espaço multidisciplinar, apto para os mais variados segmentos de negócios. Já 4% atende à indústria criativa, 3% ao TI e Tecnologia e 5% à outras áreas.

E qual a perspectiva dos escritórios prontos?

Quanto à maturidade do negócio, 30% se encontravam passando da fase inicial de negócios, 21% sendo iniciantes e 17% considerando expansão. Inclusive, 32% já haviam iniciado expansão ou planejamento.

Enfim, por mês, há 273 pessoas circulando no escritório compartilhado, com 73% adotando um plano mensal, 14% plano por hora e 9% plano diário. Nisso, a maior parte passa um tempo médio de 6-12 meses no espaço (33%).

Coworking ou home office: qual optar no final?

O significado de home office, ou home based, é o ato de executar seu trabalho esporadicamente ou totalmente em casa. Também pode ser parcial ou totalmente feito no ambiente residencial.

Possui seus defensores, principalmente após a quarentena, onde 70% das empresas que se viram forçadas a adotar o modelo, pretendem mantê-lo. Desse grupo, os segmentos que pretendem adotar são os de serviços (89%), indústria (79%) e comércio (73%).

Entretanto, há certos pontos negativos na experiência de home office:

  • A falta de ambiente profissional minimamente adequado em casa;
  • Dificuldades na adaptação do profissional ao cenário de distanciamento social;
  • Problemas na separação entre vida profissional e pessoal;
  • Riscos de fadiga mental do funcionário, que pode levar à ocorrência de Síndrome de Burnout.

Nesse cenário, o coworking é uma alternativa coerente para o profissional individual: proporciona o ambiente profissional sem excluir o fator social, separa o trabalho do pessoal e atende melhor as questões de Segurança e Medicina do Trabalho.

Além disso, apresenta benefícios para pequenas, médias e grandes empresas, além de freelancers e autônomos!

Vantagens para pequenas e médias empresas

  • Senso coletivo: um espaço compartilhado é essencial para colaboração de ideias e criação de networking;
    • Redução de custos: uma pequena e média empresa precisa cortar gastos para se manter – e redução de custos é como funciona o escritório compartilhado!;
  • Menos burocracia: esse é um mal para qualquer empresa, mas especificamente mais complicado para PMEs. Entretanto, o espaço de coworking simplifica os processos de obtenção de espaço.

Vantagens para grandes empresas

  • Inovação: o maior risco de empresas tradicionais é a estagnação dos negócios, o que pode levar à falência. Entretanto, a interação com diferentes profissionais faz parte do processo de inovação pela quebra de velhas ideias;
  • Trabalho remoto: é a oportunidade de corte de gastos com equipamentos para trabalho na sede da empresa. Você pode enviar seu empregado para um escritório compartilhado ou mesmo contar com um funcionário de outra cidade ou estado!;
  • Expansão: você pode expandir seu negócio para outros locais, bastando apenas alocar sua equipe externa para um escritório compartilhado.

Vantagens para freelancers e autônomos

  • Separação: no ambiente profissional do escritório compartilhado, há melhor separação da rotina profissional e da rotina pessoal do que em casa;
  • Criatividade e produtividade: nesse espaço, você tem a oportunidade de trocar ideias com outros profissionais e, ao mesmo tempo, não perder o foco, pois todos estão trabalhando;
  • Sociabilidade: por fim, elimina-se um dos principais problemas do home office, a perda de interação social. Afinal, você agora divide espaço com outras pessoas, sem necessariamente estar num escritório tradicional.

Dicas para seu aluguel de escritório compartilhado: como fazer um bom trabalho?

Como começar a lidar com o aluguel de escritório compartilhado?

Apesar da positividade do significado de coworking, um trabalho otimizado nesse tipo de espaço depende da sua atividade e das suas escolhas.

Afinal, há diversos tipos de coworking pelo país.

Então para começar bem o trabalho de coworking, pense nos seguintes aspectos.

  • Estrutura e custo-benefício

Considere seu trabalho na hora de checar as vantagens do aluguel de escritório compartilhado. O local é acessível? Oferece boa estrutura para execução do trabalho? O plano escolhido oferece bom custo-benefício?

Nessa hora, é necessário definir se busca apenas um espaço formal para reuniões ou uma estrutura completa que abarque até mesmo eventos quando necessário.

  • Planeje seus gastos

Para começar, os gastos com internet e telefone, que podem ser obtidos no escritório compartilhado.

Alguns espaços de coworking oferecem pacotes de ligações ilimitadas para seu celular, então verifique o quanto há de sua necessidade nisso.

Outro ponto é o uso de tempo no escritório compartilhado: você precisa usar por algumas horas, por dias ou por 1 mês?

Planeje bem seu uso de tempo, de forma a não ter gastos desnecessários no aluguel.

  • Use do potencial de networking

Por fim, aproveite o melhor que o coworking pode oferecer: o Networking.

A confluência de interações e ideias nesse espaço é intensa, com você podendo colaborar com profissionais da sua área ou de outras áreas também.

Então aqui vale o ponto decisivo que torna o escritório compartilhado uma alternativa viável ao home office: há contato social ao seu redor que agrega em suas habilidades profissionais.

Ao invés do solitário trabalho, opte pelo coletivo criativo!